Roteiro

Um pouco evitada no passado, a cidade do México está resgatando um cachimbo. Os espaços públicos renovados estão voltando à vida, a cena culinária está crescendo e a cidade está passando por um renascimento cultural. Para completar, como conseguiu se manter longe das guerras contra as drogas, a capital mexicana tende a parecer uma megalópole relativamente segura.

A antiga capital asteca sempre foi o centro do sistema solar mexicano. Basta caminhar pelas ruas movimentadas para medir a riqueza de sua história. isto é uma espécie de caos organizado que domina nesta cidade em expansãoMas não se preocupe: ele tem tudo o que você precisa para que o visitante escape do tempo de uma pausa em seu ritmo frenético, sejam cantinas à moda antiga, museus interessantes, imponentes afrescos nas paredes ou canais de navegação antigos. E aposto que, enfeitiçado por suas mil facetas, você poderia traçar uma linha em seus projetos de ociosidade na praia … Listamos 7 visitas a não perder na capital mexicana.

1. A história mexicana vista por Diego Rivera no Palácio Nacional

Podemos admirar dentro deste sumptuoso palácio colonial afrescos de Diego Rivera entre 1929 e 1951 sobre o tema da história da civilização mexicana, desde a chegada de Quetzalcoatl (o deus da serpente de penas asteca) até o período pós-revolucionário. Os 9 afrescos que cobrem as paredes norte e leste do 1º andar acima do pátio evocam a vida antes da conquista espanhola. O Palácio Nacional também é a sede da Presidência e do Tesouro Federal.
Entrada livre

adobestock_191952294.jpeg

Palácio Nacional, México
Palácio Nacional, México © jzajic – Adobe Stock

2. Templo Mayor, notável local asteca no coração do México

Antes de ser destruído pelos espanhóis na década de 1520, Teocalli de Tenochtitlán permaneceu no local da catedral e casas ao norte e leste. Foi somente em 1978, após a descoberta fortuita de um disco de pedra de oito toneladas representando a deusa lunar Coyolxauhqui, que foi decidido destruir os edifícios coloniais para desenterrar o Templo Mayor. Este santuário foi construído no local exato em que os astecas viram uma águia empoleirada em um cacto, uma cobra no bico (o centro do universo na cosmogonia asteca), como anunciado por uma profecia.

Como muitos outros edifícios sagrados de Tenochtitlán, o templo foi ampliado várias vezescada nova construção, construída acima da anterior, acompanhada de um sacrifício de prisioneiros. O que podemos ver hoje são partes das sete fases diferentes da construção do templo.

adobestock_53278881.jpeg

Ruínas do Templo Mayor, México
Ruínas do Templo Mayor, México © 123455543 – Adobe Stock

3. O clamor das lutas de lucha libre (luta livre mexicana) da Arena México

Uma atmosfera circense acontece 2 noites por semana na Arena México (capacidade para 17.000 espectadores), uma das duas salas de luta livre (lucha libre) da cidade. Luchadores flamejantes (Místico e Super Porky são muito populares) competem individualmente ou em equipes. Três ou quatro lutas precedem o confronto entre os headliners. Também são organizadas lutas na menor Arena Coliseo.

adobestock_158492050.jpeg

Máscaras de lucha libre
Máscaras de lucha libre © Arnaud – Adobe Stock

4. O sol asteca de pedra e os outros maravilhosos vestígios pré-colombianos expostos no Museu Nacional de Antropologia

Este excelente museu está localizado em uma extensão do Bosque de Chapultepec. Seu pátio retangular é ladeado por três lados dos showrooms, distribuídos por 2 andares. Os 12 quartos no térreo são dedicados ao México pré-hispânico; no chão, as coleções são sobre o modo de vida atual dos índios do Méxicocada cultura contemporânea está situada logo acima da cultura pré-hispânica da qual descende.
Na entrada é o ponto de partida para visitas guiadas gratuitas (4 / dia, exceto domingo, 1 hora, mínimo de 5 pessoas), em francês, inglês ou italiano, muito valiosas para entender a complexa história do México. Saiba que é tolice querer passar por esse vasto museu em uma visita.

adobestock_42492900.jpeg

Exposição no Museu Nacional de Antropologia da Cidade do México
Exposição no Museu Nacional de Antropologia da Cidade do México © Rafael Ben-Ari – Adobe Stock

5. A casa de nascimento de Frida Kahlo, Casa Azul em Coyoacán, agora Museu Frida Kahlo

A famosa artista mexicana Frida Kahlo nasceu, viveu e morreu nesta Casa Azul, hoje um museu. Poucos visitantes da Cidade do México fazem a peregrinação até agora para entender melhor o trabalho deste artista. Construído pelo pai de Frida, Guillermo, 3 anos antes de seu nascimento, a casa está cheia de lembranças e objetos pessoais mencionando seu longo e às vezes tempestuoso relacionamento com o marido Diego Rivera e o círculo de intelectuais de esquerda que eles estavam recebendo. Objetos da vida cotidiana, jóias, roupas e fotos do artista se misturam com suas obras, objetos pré-hispânicos e artesanato mexicano. A coleção foi enriquecida em 2007 pela descoberta, no sótão, de um cantinho secreto que escondia muitas outras lembranças. A arte de Frida Kahlo expressa sua angústia existencial e seu interesse pelas figuras do comunismo: retratos de Lenin e Mao estão pendurados perto de sua cama. O Retrato da Família ilustra com fantasia as origens mistas, húngara e Oaxaca, do artista.
Chegue cedo para evitar a correria, principalmente nos finais de semana.

6. A pitoresca Plaza Garibaldi e seus grupos mariachis

Todas as noites, bandas Mariachi da cidade se reúnem nesta praça. Vestidos com seus trajes cerimoniais, eles esperam que alguém os pague para tocar uma de suas músicas. Nesta praça, existem grupos jarocho originários de Veracruz e todos vestidos de branco, bem como grupos norteños que entoam músicas folclóricas do norte do país.
Notoriamente muito famosa, a Praça Garibaldi foi restaurada e a segurança aprimorada, mas ainda está longe de uma atmosfera pacífica. Sua última novidade, a Museo del Tequila e El Mezcal, rastreia a origem e os processos de fabricação dos dois álcoois de agave mexicanos. A visita termina com uma degustação no elegante terraço de um bar com vista para a praça. A loja do museu vende alguns bons mezcals e tequilas a preços proibitivamente caros.

mexico_city.jpg

O Palácio de Bellas Artes, na Cidade do México
O Palácio de Bellas Artes, na Cidade do México © Maria Swärdc

7. Os murais coloridos e as apresentações de dança folclórica do Palácio de Bellas Artes

Sala de concertos e centro artístico, este magnífico palácio construído a pedido de Porfirio Díaz abriga em seus andares superiores enormes afrescos de renomados artistas mexicanos. O canteiro de obras do edifício começou em 1905, sob a direção do arquiteto italiano Adamo Boari, que homenageou Estilos neoclássico e Art Nouveau. As coisas ficaram complicadas quando o pesado prédio de mármore começou a afundar no solo macio, e a Revolução interrompeu o trabalho. Na década de 1930, o arquiteto Federico Mariscal desenvolveu um estilo Art Deco interior para completar a decoração.
O recentemente renovado Teatro Bellas Artes (aberto apenas durante apresentações) é uma jóia arquitetônica Para criar a cortina de vidro que representa o Vale do México, projetada pelo pintor mexicano Gerardo Murillo (também conhecido como “Dr. Atl”), as oficinas do joalheiro Tiffany de Nova York montaram quase um milhão de peças de vidro colorido. O palácio também abriga exposições de arte excelentes, óperas e concertos sinfônicos, além de apresentações do Folkloric Ballet de México.
 

México faz parte das nossas melhores cidades para visitar em 2019!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *